URV: Sinsjusto e categoria se mobilizam na ALETO pela aprovação do PL 06/2023 .

09/05/2024 22/05/2024 17:11 327 visualizações

O sindicato também esteve no Palácio Araguaia em busca de uma reunião com o governador Wanderlei Barbosa.  

Nesta quarta-feira (08), o Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Tocantins e servidores da base compareceram mobilizados à Assembleia Legislativa para acompanhar a sessão da Comissão de Finanças, com expectativas de que fosse pautado o PL 06/2023, mas o projeto estava na pauta do dia.
 
A sessão deveria ocorrer às 14horas, mas não ocorreu. A presidente Maria das Dores, a diretora jurídica Socorro Fernandes, e o coordenador geral da Fenajud Janivaldo Ribeiro, estiveram junto a outros servidores. Na oportunidade conversaram na Casa com o relator do projeto na comissão, Olyntho Neto, que afirmou que o projeto de lei não seria pautado na sessão, e que não há prazo para que ocorra até que se tenha uma composição em relação ao PL e ao passivo do processo.

Ida ao Palácio do Araguaia 

 
Após a conversa com o deputado, os presentes seguiram para o Palácio Araguaia em busca de agenda com o Governo do Estado para iniciar a conversa, a fim de solucionar a questão. O governador Wanderlei Barbosa não estava presente. Assim, os representantes foram ao gabinete da Casa Civil para solicitar reunião com o governo. O retorno sobre as datas será informado posteriormente.

A presidente do Sinsjusto e a diretora jurídica também buscaram por essa agenda de reunião com a primeira-dama e secretária extraordinária de Participações Sociais, Karynne Sotero.

O Sindicato tem buscado atuar firmemente em todos os Poderes, com o intuito de que haja aprovação do Projeto o quanto antes. 

Maria das Dores aponta que “Essa luta em torno da implementação da URV é um compromisso do Sinsjusto com toda a categoria. A URV estava engavetada e conseguimos resgatá-la, já verificamos que há orçamento e não gera impacto financeiro para os cofres públicos do Estado. Precisamos alcançar os votos necessários e, assim, teremos justiça com nossos servidores e servidoras que aguardam há anos.”